14 Erros Devastadores Que os Crentes Cometem Com o Dinheiro

O errar é humano. certamente que já ouviu essa frase antes, e ela é usada sempre que cometemos um erro ou quando as pessoas erram.

Essa frase tem sido usada como forma de justificar a imperfeição humana, seja ela motivada pela ignorância ou até por outros factores. E por vezes as pessoas erram sem saber que estão a errar, e é aqui onde o factor ignorância entra.

Quando se trata de pessoas que crêem em Deus e na sua palavra, há vários erros que os crentes cometem com o dinheiro. Alguns desses erros até são dos mais caricatos. Mas todos nós somos susceptíveis de errar.

É por isso que trago este artigo com o objectivo de iluminar a mente de alguns de modo a mudarem os seus hábitos.

É importante lembrar que toda a decisão errada que nós tomamos tem sempre consequências negativas para as nossas vida. E se falarmos das decisões erradas que se relacionam como o dinheiro, as implicações também são devastadoras.

Leia também:

10 Erros Fatais Que os Jovens Cometem Com o Dinheiro

21 Erros Que os Homens Cometem Com o Dinheiro

16 Erros Avassaladores Que os Casais Cometem Com o Dinheiro

8 Erros Que os Pais Cometem Com o Dinheiro

Erros Que os Crentes Cometem Com o Dinheiro

 

#1 Acreditar Que o Dinheiro Cai do Céu

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Pode parecer um exagero mas a atitude de muitos crentes revela o quão certas crenças levam ao delírio. Grandes massas de crentes enchem os templos durante certos dias da semana em busca da benção ou do milagre financeiro.

Só que esses mesmos crentes não são capazes de dizer como é que o dinheiro irá chegar às suas mãos. Eles acreditam que Deus irá fazer chover dinheiro nas suas mãos mesmo sem fazer nada. Basta apenas orar, jejuar, e até fazer certos votos, que o dinheiro irá chegar.

Ora bem, essa é a maior mentira que já foi inventada por pessoas que só querem tirar proveito de gente ingénua. O nível de ingenuidade nas igrejas é assustador. Acrescenta-se a isso o facto de muitos desses crentes recusarem-se a ler as escrituras e entender o que a Bíblia diz sobre o dinheiro.

A aquisição de riqueza é resultado de certos princípios que devem ser observados, tais como:

  • Trabalho árduo
  • Poupança
  • Viver dentro dos seus limites;
  • Disciplina financeira

Pensar que pode violar todos esses princípios e o dinheiro irá chegar às suas mão simplesmente porque você orou, jejuou, e fez alguns votos, é uma falácia. Desperta enquanto ainda é tempo irmão!

#2 Acreditar Que Basta Digitar “Amén”

Muitos crentes acreditam na falácia de que apenas digitar a palavra “Amén” no Facebook irão alcançar prosperidade financeira. Esse tipo de atitude resulta do facto de muitos crentes não respeitarem as regras do dinheiro e de finanças pessoais.

Os crentes acreditam que o dinheiro é resultado de uma fórmula mágica e que apenas por seguir alguma instrução caricata de um certo homem de Deus, o dinheiro irá cair de forma mágica nas suas mãos.

Essas pessoas fazem isso por serem ignorantes e até mesmo ingénuas em relação as leis que regem o funcionamento do dinheiro e aquisição de riqueza.

#3 Não Querer Trabalhar

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Muitos crentes são preguiçosos e detestam trabalhar. Essa atitude deriva do facto de muitos desses crentes acreditarem que o trabalho é mau, e que o trabalho é maldição. Mas acima de tudo, é que essa crença é muito conveniente para o crente preguiçoso.

A verdade é que ao preguiçoso só lhe espera uma coisa, a pobreza. Não existe futuro financeiro para o indolente.

Alguns desses crentes preferem justificar a sua preguiça por meio de versículos bíblicos mal interpretados para não trabalhar. Eles se esquecem que a mesma Bíblia diz que quem não trabalha não coma. A mesma Bíblia diz que Deus trabalhou por seis dias e descansou no sétimo dia.

É muito estranho e difícil de perceber onde é que os crentes foram buscar tais ideias malucas de que trabalhar é maldição. A verdade é que ao preguiçoso só lhe espera uma coisa, a pobreza.

Não existe futuro financeiro para o indolente.

É importante perceber que o dinheiro é fruto de trabalho árduo, sem trabalho não há dinheiro. O dinheiro não cai do céu, ele responde a certas leis.

A verdade é que ao preguiçoso só lhe espera uma coisa, a pobreza. Click To Tweet

#4 Acreditar Que o Dinheiro é Mau

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

O simples facto de pensar que o dinheiro é mau leva a pessoa a não querer ter nenhum relacionamento com o dinheiro. A lógica é que se algo é mau então irei evitar tudo aquilo que é mau para que algo de mau não aconteça comigo.

Esse é um dos maiores mitos do dinheiro que predomina entre os crentes, e por pensarem assim muitos vivam na rua da pobreza.

Essa crença resulta de uma má interpretação do versículo bíblico que diz que:

o amor ao dinheiro é a raíz de todas as espécies de males.

Note que o versículo não diz que o dinheiro é mau, ele diz que o amor ao dinheiro. Você irá reparar que essas pessoas que dizem que o dinheiro é mau, são as que mais amam o dinheiro.

#5 Acreditar Que Ser Rico é Pecado

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Epa! A pobreza é uma das maiores pragas que assola os crentes. O crente no geral foge da riqueza porque na sua mente Deus não gosta dos ricos, e que se você é rico é porque é pecador, ou porque se for rico irá para o inferno.

Permita-me dizer que ir ou não ao céu não tem nada a ver com a riqueza, porque tanto o rico assim como o pobre ambos vão ao inferno. O inferno está destinado aos que recusam aceitar o nome do Senhor Jesus Cristo como Salvador, e não tem nada a ver com o dinheiro.

Pare de fazer desculpas para viver na fila da pobreza, não há dignidade nenhuma em ser pobre.

Não existe futuro financeiro para o indolente. Click To Tweet

#6 A Mentalidade de “Deus Proverá”

Muito crente não poupa dinheiro, usa todo o dinheiro que entra no seu bolso e passa o tempo a citar passagens bíblicas que dizem que Deus proverá. Essa é uma das razões porquê muitos crentes são pobres.

O facto é que muitos deles são financeiramente irresponsáveis, e colocam a responsabilidade pela sua independência financeira nas mãos de Deus. Deus é que tem que custear as suas despesas, Deus é que tem que pagar as suas contas, Deus é que tem que pagar as suas dívidas, Deus é que tem lhes dar dinheiro sempre que precisarem.

Esse é o cúmulo da irresponsabilidade financeira, comece por gerir o dinheiro que Deus já providenciou para si através do seu trabalho.

É verdade que Deus provê para o crente, e a Sua Palavra diz isso, mas também diz que o crente deve trabalhar, e também saber gerir o dinheiro que ele ganha.

não há dignidade nenhuma em ser pobre. Click To Tweet

#7 Não Ter Reservas Futuras Porque Jesus Está a Caminho

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

O hábito de não poupar entre muitos crentes é assustador, muitos optam por gastar tudo o que têm porque não vale a pena poupar. Jesus está a caminho e pode voltar a qualquer momento. Para esses crentes, a poupança é um desperdício de tempo porque Jesus voltará a qualquer hora.

Essa forma de pensar é que faz com que muitos Cristãos vivam na penúria e na mendicidade. Eles acabam por relegar tudo para o imediatismo, acreditam que não é necessário ter reservas financeiras porque não irás levar nada consigo após a morte, e Jesus está voltando.

Já pode perceber porque é que muitos crentes são pobres e vivem na mendicidade, mas isso não é algo que a Bíblia ensina. Tudo isso é resultado de interpretações erradas das sagradas escrituras.

É verdade que Jesus está voltando, mas enquanto ele não volta é importante agir de forma responsável com o dinheiro.

#8 Não Querer Aprender Sobre Finanças Pessoais

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Entre participar num seminário sobre finanças pessoais e participar num culto sobre milagres financeiros, os crentes preferem ir ao culto.

Mas porquê? Porque muitos crentes são preguiçosos, eles preferem que Deus faça um milagre financeiro do que aprender os princípios que regem a gestão de finanças pessoais.

Só que essas pessoas não sabem que milagres financeiros não existem, e se Deus o faz são apenas algumas excepções. O modelo de Deus para a liberdade financeira já está tabulado na Bíblia, o que o crente tem que fazer é seguir os princípios Bíblicos sobre finanças pessoais e começará a ver resultados.

Agora violar princípios e esperar que Deus faça um milagre financeiro na sua vida, isso não cola meu irmão. Vai trabalhar, aprenda os princípios sobre gestão financeira, e coloque esses princípios em prática.

Leia, participe em seminários sobre finanças pessoais, e siga este blog que você irá aprender tanto.

#9 O Dinheiro é do Diabo

É tão conveniente para muitos crentes culpar o Diabo por tudo, a pobreza vem do Diabo, a carência vem do Diabo, o dinheiro é do Diabo. A sério?

Essa crença tem a ver com o as decisões erradas que as pessoas tomam e por consequência a tendência é colocar a culpa no dinheiro. A verdade é que o dinheiro não tem personalidade nenhuma, o dinheiro não é o Diabo e nem é um anjo.

Pelo contrário, o dinheiro adopta a personalidade de quem o possui. Se a pessoa que detém o dinheiro estiver inclinada para o mal, irá usar o dinheiro para fazer mal. E se a pessoa estiver inclinada para o bem, irá usar o dinheiro para fazer o bem.

O dinheiro é neutro.

#10 Melhor é Ser Pobre do Que Ser Rico

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Eu não acredito que alguém prefira a pobreza no lugar da riqueza, a não ser que esteja a viver num ministério. E até chego a duvidar da sinceridade dessas pessoas, mas enfim, essa é uma daquelas coisas que alguns preferem dizer para justificar a sua irresponsabilidade financeira.

O facto é que se prefere viver pobre essa é uma escolha sua, mas não é porque a pobreza é melhor do que a riqueza. Nunca!

Não existe comparação possível entre a pobreza e a riqueza, isso é um equívoco e dos maiores que já existiram.

Eu coloco essa afirmação na categoria das grandes mentiras que já foram inventadas, e você acreditou nisso.

Sai dessa irmão! Fuja da pobreza.

#11 Pensar Que o Dízimo Apenas Garante a Riqueza

É verdade que o dízimo é uma verdade Bíblica, mas o que não é verdade é que dando o dízimo apenas a pessoa irá prosperar financeiramente. Muitos dos benefícios do dízimo até nem são financeiros, eles transcendem a área financeira.

Contudo, o ensino sobre o dízimo tem sido ensinado nos púlpitos como se fosse a fórmula mágica para a aquisição de riqueza. O que não constitui a verdade.

Se isso fosse verdade, muitos crentes dizimistas fiéis seriam rico, incluindo você.

O dízimo é importante, mas se violar os outros princípios sobre finanças pessoais nem pense que ele irá resolver o seu problema financeiro.

É importante entender que o dízimo não é uma panaceia para a irresponsabilidade financeira. Click To Tweet

#12  Acreditar Que Dar Ofertas é Suficiente

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Dar ofertas é um princípio bíblico que todos os cristãos devem obedecer, e não só. Dar é um princípio e ele obedece à lei da semeadura, que diz que quem dá recebe, ou por outra,

dai e ser-vos-á dado.

Mas dar não é suficiente para alcançar a liberdade financeira é importante também aplicar as outras disciplinas das finanças pessoais.

Quando se trata de alcançar independência financeira não existem corta-matos, é importante pegar no pacote todo e aplicar as leis. E isso começa por se distanciar da ideia de que finanças podem aparecer no nosso bolso de forma milagrosa e sem nenhum esforco.

Dar ofertas serve para complementar o resto, se você dá dinheiro mas é financeiramente indisciplinado, isso não lhe vai ajudar. É preciso fazer mais do que isso.

#13  Seguir Cegamente aos Pregadores da Prosperidade

O ensino sobre prosperidade é algo que tomou conta de muitos púlpitos de várias igrejas como uma peste. Em alguns púlpitos já não se fala mais nada a não ser prosperidade financeira.

Esse ensino tem ganho muita aceitação pelo facto da pobreza abundar nas igrejas. É verdade que a maioria das pessoas que vão às igrejas são pessoas pobres, e não sabendo como adquirir riqueza facilmente acreditam num Pastor que lhes promete que Deus irá lhes abençoar mediante a aplicação de certas práticas religiosas.

É interessante que muitos dos ensinamentos sobre a prosperidade financeira não tem nada a ver com independência financeira. O que é ensinado nos púlpitos muitas vezes até viola o que a Bíblia ensina sobre gestão financeira.

O que se ensina através dos púlpitos leva as pessoas a pensarem que dinheiro vem de uma forma mágica como resultado de algumas acções que se realizam nos cultos.

É verdade que alguns dos princípios que se ensinam nesses púlpitos até são verdadeiros, mas não chegam a ser toda a verdade.

A parte mais infeliz sobre o ensino da prosperidade é que as pessoas que mais se beneficiam desse ensino não são os crentes, mas sim os próprios pregadores. Isso só vem para provar que algo há de errado no conteúdo e na forma em que ele é ensinado.

#14 Não Respeitar Princípios de Criação de Riqueza

Erros que os crentes cometem com o dinheiro

Princípios como o trabalho árduo, hábitos saudáveis de gestão financeira, viver dentro dos seus limites, saber investir dinheiro para o futuro, a diferença entre activos e passivos, entre outros precisam ser seguidos à letra de modo a se alcançar independência financeira.

É importante conhecer os princípios e seguí-los à letra, a violação desses princípios não ajudará a ninguém. Ainda que passe horas a fio a orar e a jejuar pela prosperidade financeira.

Estude, aprenda e respeite os princípios de criação de riqueza que isso lhe irá ajudar. Distancie-se da ideia de milagres financeiros porque isso só lhe vai levar à pobreza.

Conclusão

Espero que este artigo sirva para trazer clareza com relação a certo tipo de erros que os crentes com o dinheiro. Esses erros podem ser corrigidos, e se você está cometendo alguns desses erros ainda tem tempo para corrigir.

Partilhe a sua opinião connosco na área de comentários e diga o que acha do artigo.

About Edgar Chauque

Edgar Chaúque é o fundador fundador e editor do DinheiroFala. Ele é também o homem por detrás do TecnoFala, SejaEmpreendedor, e do
Share Your Ideas Online .
É o Fundador da ZIKOMU MEDIA, e mentor do projeto ARQUITETOS DO FUTURO. Pode encontrá-lo também no seu blog pessoal.

Deixar uma resposta